Peritos noruegueses apelam às autoridades para que retirem permanentemente as vacinas Johnson & Johnson e AstraZeneca

Um comité de peritos criado pelo governo norueguês para analisar as vacinas anti-covid produzidas pela AstraZeneca e Johnson & Johnson determinou na segunda-feira, 10 de Maio, que era apropriado que o país interrompesse a utilização destes soros devido ao risco de desenvolver efeitos secundários raros, mas graves.

41731_1

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“Não recomendamos a utilização de vacinas baseadas em tecnologia de vectores virais no programa nacional de imunização”, disse o líder do comité Lars Vorland, apresentando o seu relatório ao Ministro da Saúde Bent Høie.

“Chegámos a esta decisão devido a graves efeitos secundários” observados numa pequena percentagem de pessoas que receberam uma destas vacinas, acrescentou o médico. Os peritos notam que elas podem ser dadas voluntariamente. Bent Høie ainda não comunicou a posição do governo.

A utilização da vacina anti-covid produzida pela AstraZeneca está suspensa na Noruega desde 11 de Março. A 15 de Abril, quando as autoridades sanitárias norueguesas recomendaram a exclusão do soro Britânico-Sueco da campanha de vacinação, o governo optou por adiar a decisão, criando um comité de peritos para examinar os riscos associados às vacinas AstraZeneca e Johnson & Johnson, que utilizam a mesma tecnologia.

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) e a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomendam a continuação do uso das duas vacinas, considerando que os seus benefícios superam os riscos. “Se decidirmos descontinuar estas vacinas de forma permanente, as doses não serão desperdiçadas. Elas serão doadas a outros países”, disse Bent Høie. Oslo já “emprestou” 216.000 doses à Suécia e à Islândia, que continuam a utilizar o serum AstraZeneca.

 Cinco casos de trombose grave

134.000 doses de AstraZeneca foram administradas até meados de Março na Noruega. Cinco casos de trombose grave, incluindo três mortes, foram relatados em pessoas relativamente jovens e saudáveis. Uma outra pessoa morreu de uma hemorragia cerebral.

A vacina Johnson & Johnson ainda não foi utilizada, mas foram relatados casos raros de trombose nos Estados Unidos após a sua utilização. Por conseguinte, o programa de imunização norueguês incluirá provavelmente apenas as duas vacinas de RNA mensageiro (Pfizer/BioNTech e Moderna).

“Temos vacinas de RNA mensageiros suficientes”, disse Camilla Stoltenberg, directora do Instituto Norueguês de Saúde Pública (FHI).

Até agora, a Dinamarca é o único país na Europa a ter eliminado oficialmente as vacinas AstraZeneca e Johnson & Johnson.

Fonte: yogaesoteric 19 de Junho de 2021