Por Gregorian Bivolaru

Este artigo foi concebido pelo professor de Yoga Gregorian Bivolaru como um presente para todas as mulheres carinhosas, inteligentes, sensuais e refinadas que aspiram a despertar o estado de SHAKTI dentro delas. Este dom do conhecimento dos mistérios do Eterno Feminino foi-lhes oferecido com amor e admiração por ocasião do 8 de março.

Lema:

  1. As mulheres nas quais o estado de SHAKTI despertou são na verdade sombras da Grande Mãe (MAHA-SHAKTI), e a Grande Mãe (MAHA-SHAKTI) é eternamente a sombra misteriosa de Deus Pai (Brahman) “. – YONI TANTRA
  2. “Por medo de não te perder, eu mantenho-te quase sempre presente e abraçado no meu coração. Que magia fascinante me foi dada, este tesouro maravilhoso do mundo que tu és para mim, para os meus braços frágeis? “- Rabindranath Tagore
  3. “As mulheres nas quais estado de SHAKTI desperta cada vez mais serão e continuarão a ser as mulheres do futuro.” – Gregorian Bivolaru
  4. “Se a Grande Mãe (MAHA-SHAKTI) não tivesse existido eternamente juntamente com o Pai Celestial (Deus), estando incessantemente – íntima e totalmente – amorosamente unida com Sua Essência absoluta (Paramatman) e com a sua vontade omnipotente, permanecendo num infindável estado de orgasmo divino da criação incessante (ANANDA), então nada nem ninguém teria existido anteriormente, na eternidade. Se fosse assim, nada nem ninguém teria, posteriormente, existido na eternidade. Ao mesmo tempo, temos de perceber que, se fosse assim, então nem todo o universo (MACROCOSMOS) teria existido e nem nós, seres humanos, teríamos existido. Em tal situação, o que podemos imaginar e supor por redução ao absurdo, devemos ao mesmo tempo ter a certeza absoluta de que nada nem ninguém iria continuar a existir no futuro e nada iria continuar a existir na eternidade. Se absolutamente ninguém (incluindo nós seres humanos) tivesse existido e fosse dotado com a consciência de auto-existência (que permite perceber: “Eu penso, logo existo”), em seguida, teria sido impossível saber que Deus existe “-. Gregorian Bivolaru

Na tradição da sabedoria oriental, o Supremo Absoluto (Brahman ou DEUS PAI) tem a sua metade feminina misteriosa, considerada a Sua manifestação de Natureza feminina, que também é conhecida no Oriente com o nome de MAHA SHAKTI. Como é sabido também na tradição cristã, Deus Pai manifesta-se e cria tudo através do seu poder feminino misterioso, que é o ESPÍRITO SANTO.

De facto, não é de todo um acidente que tanto a tradição oriental milenar como a ansiã tradição cristã ocidental fazem notar a presença de uma manifestação feminina misteriosa da Natureza através da qual Deus cria todo o MACROCOSMOS. Na tradição oriental, MAHA SHAKTI ou o Eterno Feminino da Natureza, na verdade, representa a PODEROSA MANIFESTAÇÃO FEMININA DE DEUS, através da qual toda a Criação (todo o MACROCOSMOS, ou, em outras palavras, o TODO MISTERIOSO), que é feito dos três universos (Universo Físico, Astral e Causal) é criado e mantido.

DEUS PAI manifesta incessantemente a Sua onipotência e manifesta todos os seres e tudo o que há através de MAHA SHAKTI. MAHA SHAKTI é sempre aquela em e por quem a vontade omnipotente de Deus Pai (Brahman) se manifesta. Não é de todo por acaso que na tradição oriental todos os deuses, sem exceção, como Brahma, Vishnu ou SHIVA manifestam pelo menos uma natureza feminina, que são também as suas amantes. Cada uma dessas amantes que eles adoram também representa para cada um deles a manifestação da sua natureza feminina. No entanto, olhando além das aparências, pode dizer-se que essas amantes dos deuses são de facto as suas SHAKTI-s, por meio das quais eles manifestam a sua vontade divina omnipotente. As SHAKTI-s dos deuses representam os poderes femininos das suas naturezas enigmáticas, que criam uma união misteriosa perfeita com eles. Na ausência da manifestação dessas naturezas femininas (SHAKTI-s) ou, noutras palavras, na ausência da manifestação feminina da natureza divina desses poderes (que é característico no caso de cada deus), eles não seriam sobrenaturalmente dotados e não seriam capazes de manifestar qualquer poder divino absolutamente extraordinário, assim como seriam incapaz de exercer qualquer poder oculto benéfico, milagroso.

À luz destas revelações, podemos perceber que a enigmática e toda-poderosa vontade desses deuses só se pode manifestar de forma eficiente através das suas forças de manifestação femininas que estão intimamente unidas com eles (em todas as suas esferas de existência e manifestação que os caracterizam). Além disso, esta união perfeita é muitas vezes representada na tradição oriental por meio do par amoroso divino que é representado como estando unido numa comunhão amorosa ininterrupta na clássica postura tântrica YAB-YUM.

Na ausência de uma ou mais SHAKTI-s através das quais os deuses incessantemente manifestem a sua vontade, as suas influências espirituais misteriosas e o seu oculto poder divino, qualquer um desses deuses seria – analogicamente falando – apenas um cadáver rígido, inerte e impotente. Na ausência da presença de SHAKTI, que lhe permite manifestar plenamente, através da sua manifestação de natureza feminina, o deus seria, analogicamente falando, apenas como um corpo paralisado. Este ancião ensinamento oriental secreto era conhecido pelos grandes iniciados e é expresso por um ditado clássico num determinado tratado tântrico antigo: “SHIVA sem SHAKTI é Shava (um cadáver inflexível e impotente). SHAKTI sem SHIVA é Kalila (existência sem sentido, confusão, caos), KACHAKULAM (dissimulação, sem valor, perturbação de valores) e Maya (ilusão, desordem, entropia).”

Especialmente no Oriente, a enorme importância da MANIFESTAÇÃO FEMININA DO PODER (SHAKTI), através da qual toda a criação aparece e se mantém e, na ausência do qual nada pode ser manifestado, é conhecida desde há milhares de anos pelos grandes sábios. Como já mencionado anteriormente, na tradição cristã, Deus Pai é também assistido permanentemente, no processo de criação e manifestação de todos e tudo o que foi, é ou será, pela misteriosa MANIFESTAÇÃO FEMININA DO PODER DO ESPÍRITO SANTO (que como já mencionado anteriormente é conhecido na tradição oriental com o nome de MAHA SHAKTI ou Grande Mãe que dá à luz tudo), na qual e através da qual tudo, sem exceção, aparece na Criação de DEUS PAI.

Na tradição milenar do oriente é frequentemente mencionado que todo o MACROCOSMOSS, no qual existem os três universos simultaneamente (o Universo físico-material, o Universo Astral e o Universo Causal), manifesta-se totalmente através de MAHA SHAKTI. Todo o MACROCOSMO, sem excepção, “nasceu” e é incessantemente mantido por MAHA SHAKTI. Os grandes iniciados sabem que o MACROCOSMOS na sua totalidade representa, na verdade, o trabalho de MAHA SHAKTI. O MACROCOSMOS manifestou-se como uma expressão da vontade Toda-Poderosa de Deus Pai (Brahman). Os grandes iniciados do sistema milenar de TANTRA YOGA especificaram em certos tratados secretos que, na verdade, todo o MACROCOSMOS é o “fruto” ou, noutras palavras, “A criança mágica” que nasceu da MAHA YONI (matriz do parto gigantesco) da Grande Mãe (MAHA SHAKTI), que inicialmente manifestou toda a criação. À luz desta revelação, podemos entender as razões dos adeptos tântricos avançados adorarem a YONI da mulher amada e olharem para ela de uma maneira transfiguradora como sendo a correspondência no corpo da mulher da MAHA YONI de MAHA SHAKTI.

A profundamente transfiguradora e cheia de adoração visão do corpo e do ser da mulher amada permite que os adeptos avançados do sistema TANTRA entrem num estado de comunhão misteriosa com MAHA SHAKTI, que existe eternamente, e que está intimamente unida ao Todo-Poderoso, espírito enigmático. Por meio de MAHA SHAKTI, a vontade omnipotente de Deus Pai manifesta-se. A intuição desses mistérios espirituais fundamentais permite-nos também compreender a milenar e profundamente transfiguradora visão do LINGAM como sendo a expressão de falo perfeitamente erecto de SHIVA que é e permanece desta forma devido ao facto de SHIVA ser perfeitamente continente. Por sua vez, o culto da YONI (matriz da mulher) representa, na verdade, a visão transfiguradora da MAHA YONI de MAHA SHAKTI a partir da qual todo o MACROCOSMOS nasceu. Tal visão profundamente transfiguradora, misteriosa e sublimemente espiritual do corpo da mulher amada permite que o tântrico descubra gradualmente (por meio desta visão) uma unidade misteriosa entre o MICROCOSMOS do ser amado, no qual o corpo é uma parte importante componente do mesmo, e o MACROCOSMOS no qual o universo físico é uma parte importante dele.

No entanto, é óbvio que apenas os seres humanos que têm uma realização espiritual elevada são capazes de intuir a misteriosa e grandiosa realidade que existe além dessas representações simbólicas que contêm uma infinidade de significados. Os tântricos iniciados afirmam que o corpo da mulher apresenta uma complexidade extraordinária e quando é considerado a partir de um certo ponto de vista revela-se muito mais complexo. Entre outros, o corpo da mulher revela-se superior ao do corpo do homem, devido ao facto de que o corpo da mulher tem certas características distintas que são únicas quando em comparação com o corpo do homem. Por exemplo, o corpo da mulher contém, não por acidente de todo, 12 aberturas distintas (entre estas aberturas distintas que são extra no caso de o corpo da mulher mencionamos o colo do útero, a uretra e os orifícios dos mamilos que estão constantemente activos na mulher. Por meio dos mamilos, certos líquidos femininos misteriosos manifestam-se no e através do corpo da mulher). Comparado com o corpo da mulher, o corpo do homem contém apenas nove aberturas distintas (no caso do homem, os orifícios dos mamilos não estão abertos nem ativos de todo). Há ainda outras diferenças que apenas o corpo da mulher tem, que não iremos mencionar aqui. No caso do corpo da mulher, todas essas diferenças apontam a sua superioridade, que só as mulheres que conseguem despertar plenamente o estado de SHAKTI se tornam cientes e apreciam no seu justo valor.

Entre outras diferenças que os tântricos sabem, mencionamos que a mulher é capaz de experimentar mais de 20 distintas formas de orgasmo, enquanto que o homem não é capaz de experimentar essa gama de orgasmos precisamente devido ao facto do seu corpo não ter a mesma complexidade que o corpo da mulher.

Outra capacidade absolutamente extraordinária que é inata e que a mulher tem e pode manifestar em qualquer momento é a possibilidade de praticar imediatamente continência amorosa, com uma grande facilidade, sem a necessidade de um treino prévio, como é necessário para o homem.

Outra capacidade extraordinária que a mulher manifesta espontaneamente é a de entrar e manter-se, por muito longos períodos de tempo, em vários estados de orgasmo que podem ser estendidos por horas a fio, de forma ininterrupta. Quando se pratica a continência amorosa extraordinariamente bem, a mulher pode facilmente atingir estados de orgasmo cósmicos (tais estados de êxtase são esmagadores, profundos e muito intensos estados de orgasmo, mesmo que este conceito em si gere o desprezo dos cretinos que gozam com o que eles nunca foram realmente capazes de experimentar). Outra capacidade extraordinária é que o corpo da mulher que é eroticamente desperta e que se torna consciente de certas energias misteriosas que se manifestam no seu corpo (por desencadear certos processos de ressonância oculta com as esferas infinitas de energia a partir do MACROCOSMOS) faz com que a respectiva mulher manifeste facilmente vários processos alquímicos que são accionados dentro da YONI dela. Um processo fascinante e misterioso deste tipo é a aparição e a materialização das chamadas KALAS dentro da YONI dela, quando a mulher experimenta intensos e avassaladores estados de orgasmo sem descarga.

Outro processo misterioso é a integral transmutação das secreções sexuais específicas em energia. Quando não são transmutadas em energia e sublimadas, elas desencadeiam a menstruação. Por meio de tal realização (a suspensão da menstruação devido à transmutação de seu potencial sexual em energia), a mulher terá à sua disposição uma enorme energia interior que ela pode direccionar e focar para os vários patamares do seu universo interior através de uma sublimação harmoniosa. Esperamos que por meio destas revelações, as mulheres inteligentes e intuitivas que vão ler estas linhas percebam que o privilégio de se ser mulher não é nem uma exclusividade nem um argumento de sedução, mas que implica, entre outras coisas, tornar-se consciente das suas vantagens como uma necessidade rigorosa. Esta descoberta é alcançada de forma gradual. Quanto mais e mais a mulher desperta e activa este fabuloso potencial que lhe é revelado mais ela se torna plenamente consciente do seu estado de SHAKTI.

Aqui está como estes aspectos fundamentais ocultos são descritos num famoso tratado tântrico segredo: “A INFINDÁVEL MANIFESTAÇÃO DO PODER FEMININO (MAHA SHAKTI) é na realidade a força misteriosa que se manifesta e suporta todo o universo. Ela (MAHA SHAKTI) foi quem deu à luz, da sua gigantesca MAHA YONI e trouxe à luz o grande UNIVERSO INTEGRAL (MACROCOSMOS). O grande UNIVERSO INTEGRAL (MACROCOSMOS) é, de facto, a FORMA NECESSÁRIA que Ela (MAHA SHAKTI) lhe oferece na sua origem. MAHA SHAKTI é incessantemente o fundamento e a energia que se manifesta tanto nos três mundos, como em todos os mundos paralelos que existem no UNIVERSO ASTRAL. MAHA SHAKTI é aquela que criou e manifestou os DEZ PODERES CÓSMICOS (DASHA MAHA VIDYA) que através dela (de MAHA SHAKTI) se tornaram uma expressão do TODO-PODEROSO BRAHMAN (DEUS PAI); a Grande Mulher (MAHA SHAKTI) é e permanece a força insuspeita que se manifesta e suporta todo o Universo (MACROCOSMOS).

“Todo o Universo (MACROCOSMOS) é a Sua forma (de MAHA SHAKTI). A Grande Mulher (MAHA SHAKTI) é o fundamento misterioso deste mundo e de todos os mundos. Nenhum mundo nem nenhum universo existem na ausência do seu apoio. No mundo físico, a forma do corpo da mulher é uma forma perfeita. Qualquer forma que MAHA SHAKTI assume, tanto masculina (VIRIL) ou feminina é, na verdade, a sua suprema forma misteriosa. No universo do ser de cada mulher, existe – num estado activo (desperto) ou num estado latente – tudo o que é inspirado, tanto neste mundo como noutros mundos misteriosos que existem.

Para quem a adora e é capaz de a descobrir em todo o seu esplendor – excepto o Ser Supremo Imortal (ATMAN) – não há jóias superiores à mulher. Para a pessoa que é capaz de a descobrir além das aparências, bem como para a mulher que realiza esses dons fabulosos através de auto-conhecimento, não há, não houve nem nunca haverá um destino igual ao da mulher.

Não há reino, não há ascetismo que possa ser comparado a tudo o que pode ser oferecido pelo maravilhoso universo totalmente desperto da mulher, quando ela é devidamente adorada e transfigurada. Excepto o Ser Supremo Imortal (ATMAN) não há, não houve nem nunca haverá um lugar sagrado que possa ser comparável ao universo do ser da mulher. Não importa o quanto nós olhamos, não podemos descobrir uma oração que seja semelhante à perfeitamente natural oração extática que a mulher manifesta espontaneamente quando alcança o perfeito estado de orgasmo (é unanimemente conhecido pelos homens iniciados que, quando as mulheres alcançam um amplo e profundo estado de orgasmo sem descarga têm espontaneamente a firme tendência de focar a sua visão para a parte superior da área de cabeça, ao nível do centro essencial de força SAHASRARA, que como sabemos permite a reconexão do ser humano com DEUS PAI (nota nossa)).

Não há, não houve nem nunca haverá uma modalidade ou exercício espiritual que seja semelhante ao que o corpo perfeitamente activo da mulher e que o universo totalmente activo da mulher pode oferecer. Não há MANTRA, não há TAPAS que possa igualar a multidão de tesouros que podem ser revelados pelo universo misterioso do ser da mulher. Não há riqueza, não importa quão grande, que possa ser comparada ao universo do ser da mulher. Não há, não houve nem nunca haverá um prazer maior, uma alegria mais esmagadora do que aquele que nós podemos descobrir no e através do corpo e do universo do ser da mulher. Aquele que avidamente a adora, facilmente descobre, eventualmente com a ajuda da mulher, a misteriosa existência de BRAHMAN (Deus Pai) com quem a mulher está incessante e misteriosamente unida, mesmo quando ela não suspeita disto. Sem a ajuda do poder da manifestação (SHAKTI), nem os deuses têm força e na sua ausência (de SHAKTI) eles não podem agir. “

À luz das revelações fundamentais que nos são oferecidas através da citação acima, podemos facilmente perceber que as duas polaridades opostas, aspectos complementares, respectivamente, o masculino e o feminino, os aspectos YANG (+) e YIN (-) são, na verdade, os dois princípios que são manifestados pelo Eterno Feminino (MAHA SHAKTI). Sobre DEUS PAI, que só manifesta toda a sua Vontade com a ajuda do Eterno Feminino (MAHA SHAKTI), pode-se dizer que Ele é realmente neutro e transcendente. No quadro do universo (MACROCOSMOS) que se manifesta pela Grande Mãe (MAHA SHAKTI), o masculino e o feminino, o Yang e o Yin são os princípios opostos polares que regem o Universo, que garantem a sua coerência e unidade. No quadro deste universo (MACROCOSMOS) que foi originalmente manifestado pela GRANDE MÃE (MAHA SHAKTI), o Yang e o Yin, o masculino e o feminino não são dois estados que se opõem e fazem guerra um ao outro, mas na verdade são duas fases (uma é positiva e a outra negativa) da alternância do mesmo movimento.

Sob certas condições que são conhecidas pelos iniciados, o masculino é a expressão de uma transformação progressiva do feminino, ou, noutras palavras, da transformação de YIN em YANG, e o feminino é a expressão da transformação progressiva do masculino ou, noutras palavras, a expressão da transformação do YANG em YIN. Desta forma, pode-se dizer que as duas energias polares opostas completam-se entre si e formam uma unidade perfeita. O masculino e o feminino, o Yang e o Yin, são um par antitético e, ao mesmo tempo, perfeitamente unido e que existe numa das mais completas comunhões. O YANG, aspecto masculino, representa a acção, exteriorização, a expansão, o norte, o fogo, a plenitude da vida, as notas musicais agudas, o sol, o dia, o verão, o dinamismo, o aspecto morno. O YIN, feminino, representa interiorização, a intuição, a passividade, a receptividade, sul, água, notas graves na música, a lua, a noite, a humidade, inverno, repouso, frio.

Na clássica e famosa representação do masculino e do feminino, o Yin e o Yang estão baseados num círculo (que simboliza o Primordial Único), que é dividido em dois aspectos que o compõem. Esta representação simbólica contém uma parte branca (homem, +, YANG) e uma parte preta (mulher, -, YIN), a fim de expressar o estado de dependência mútua entre as duas metades; podemos ver um pequeno círculo preto (o núcleo do feminino) que existe na parte branca (o homem) e um pequeno círculo branco (o núcleo do feminino) que existe na parte preta (mulher). Cada um dos pólos posiciona o foco no ponto da força oposta que representa a misteriosa semente da transformação. Ao mesmo tempo, isso permite-nos compreender o mistério do estado andrógino glorioso que cada ser é chamado a atingir, mesmo que por enquanto ele não se aperceba dessa aspiração inconsciente.

Entre outros, esse simbolismo lembra-nos que em toda a manifestação nada é completamente feminino ou completamente masculino e que as forças feminina (YIN) e masculina (YANG) não podem existir sem o outro. O estado andrógino glorioso permite que o ser humano que o alcançou por meio de certas transformações internas fundamentais aceda a um claramente superior estado psicomental e espiritual de autonomia. Este estado (o estado andrógino glorioso), no qual existe simultaneamente num constante estado de equilíbrio no qual os aspectos feminino (yin) e masculino (yang) são igualmente capturados no seu universo interior, não existe uma preponderância masculina ou feminina, que é característica no caso dos seres humanos comuns (que por enquanto não atingiram este estado claramente superior que é conhecido pelo nome do estado andrógino glorioso).

A separação do princípio masculino do princípio feminino não gera o desaparecimento da lógica misteriosa que os obriga a serem complementares. Se nós atentamente e lucidamente os analisarmos, descobrimos que existe e vibra em cada um de nós uma parte feminina e uma parte masculina, mesmo quando não suspeitamos disso. O aspecto que predomina determina a polaridade geral do nosso ser e torna-nos num homem ou numa mulher. Na realidade, não há nenhuma espécie de antagonismo entre os dois pólos, mas apenas uma interpenetração, reciprocidade, uma mistura, a mais profunda fusão. Tudo isto gera dentro de nós desejos, paixões, aspirações e determina-nos a agir, com o fim de despertar e realizar tudo isso no nosso universo interior.

Os aspectos masculino (YANG) e feminino (YIN), são distintos, são tonalidades vibrantes precisas que estão em plena simbiose. Tanto o masculino como o feminino alimentam permanentemente o outro e precisam um do outro. Em ambos os casos, a força no caso da natureza feminina, bem como a força na natureza masculina aparece pela assimilação do oposto, da polaridade complementar. O Homem precisa da energia feminina, para se poder tornar polarizado e tornar-se, assim, numa força triunfante. Por sua vez, a mulher precisa da energia masculina complementar, a fim de, deste modo, tornar-se também numa força triunfante. Sob certas condições, que são conhecidas pelos iniciados, é possível despertar muito rapidamente o estado andrógino glorioso tanto na mulher como no homem. Então, a mulher também despertou o homem interior dentro dela e o homem despertou a mulher interior dentro dele. Este estado também gera o aparecimento gradual e a activação de certos poderes paranormais (SIDDHI-s).

Tanto o feminino como o masculino simbolizam o aspecto de uma única e mesma realidade, que é a realidade misteriosa de MAHA SHAKTI. O masculino e o feminino, o YANG e o YIN, é cada um deles um factor de multiplicação e até mesmo de divergência aparente. Ao mesmo tempo, eles são um factor de fusão, reintegração, poder, felicidade, prazer, saúde, amor, unidade plena. O estado de equilíbrio em que constantemente estão vem da harmonia e do frenesim da sua interação e está em estreita ligação com a duração dessa interação, que oferece assim à outra pessoa a acumulação da energia misteriosa que cada um dos dois precisa.

No caso dos jogos amorosos que são baseados em perfeita continência, transfiguração e amor, essa interação entre os dois amantes pode ser totalmente satisfatória, plenamente harmoniosa e isso atrai por si só estados extraordinários de felicidade e até permite o alcance de estados extraordinários de bem-aventurança. No caso dos seres humanos que não executam jogos amorosos com continência, transfiguração e amor, as trocas energéticas com o outro e a interação entre os dois amantes são superficiais, com uma duração curta, insatisfatórias, incompletas, e por esta razão eles dão à luz a frustrações, tensões, descontentamentos e até mesmo uma luta surda. Os iniciados sabem que a acção conjugada das duas forças misteriosas complementares, nomeadamente, a força masculina (YANG) e a força feminina (YIN), apoia e regula a vida das pessoas e os ecos dessa interação existem e são espelhados nos reinos animal e vegetal. Este jogo polar está presente em todo o Universo e existe em todos os lugares onde há vida. A partir da união das duas energias complementares polares, aparece vigor, felicidade, prazer, equilíbrio e a harmonia suprema.

Sobre as várias trocas misteriosas e as relações que existem entre os aspectos masculino (yang, +) e feminino (YIN, -)

1. A aparente oposição

Em toda a natureza, quase todos os fenómenos apresentam dois aspectos distintos. Estes aspectos caracterizam tanto o movimento das estrelas, como por exemplo, o Sol e a Lua, bem como a manifestação cíclica das estações, o dia e a noite, a expansão e a retracção. O estado de unidade aparece ou, noutras palavras, é criado através da oposição aparente destes dois aspectos polares opostos e complementares que são contraditórios à primeira vista.

2. A interdependência

Paradoxalmente, estas duas forças opostas polares (o masculino, YANG – o feminino, YIN) são interdependentes. Elas requerem absolutamente a presença de uma ou da outra das duas polaridades complementares, a fim de existirem individualmente.

3. A expansão e retracção

O masculino (YANG, +) e o feminino (YIN, -) expandem e retraem alternadamente. Este movimento misterioso mantém um equilíbrio que é relativamente favorável para as duas energias (que são as energias masculina e feminina, respectivamente). Este incessante vai-e-vem está na origem da vida e de cada estado de equilíbrio dinâmico.

4. Transformação Mútua

Em certas condições que são conhecidas pelos iniciados, como por exemplo as frenéticas e sublimemente apaixonadas fusões amorosas, que são realizadas com continência (desencadeando assim a transmutação biológica do potencial sexual físico em energia e a sublimação da energia resultante em vários níveis superiores do nosso ser) o masculino (YANG, +, solar) e o feminino (YIN, -, lunar) podem transformar-se integralmente um no outro. Desta forma, pode-se dizer que o masculino torna-se feminino e o feminino torna-se masculino, o YIN torna-se YANG, o YANG torna-se YIN, o mais torna-se menos, o menos torna-se mais, a energia solar torna-se lunar, a lua torna-se sol. Desta forma, aparece uma profunda e rápida transformação, ocorre um renascimento e podem ocorrer reviravoltas surpreendentes de determinadas situações. Desta forma, mutações incríveis e saltos qualitativos inesperados podem aparecer.

O que acontece hoje em dia

Desde há mais de 5.000 anos, a chamada visão “divina” predominante neste planeta é uma visão totalmente de uma atitude que está cheia de superioridade dos homens em relação às mulheres. Quer eles considerem DEUS PAI, uma realidade espiritual infinita, ou como a “INTELIGÊNCIA SUPREMA”, ou como TODO-PODEROSO, ou considerem-no o Absoluto Supremo, hoje em dia os homens e as mulheres fazem-no no género masculino e, desta forma homens e mulheres cometem assim um erro fundamental.

Os grandes sábios deste planeta têm conhecimento e até mesmo hoje em dia sabem que DEUS PAI não é masculino, mas neutro. No misterioso processo da manifestação de tudo o que existe, o neutro, não-manifestado e transcendente DEUS PAI criou e manifestou tudo o que existe, tudo o que tem uma forma com a ajuda e, através do Eterno Feminino. Este Eterno Feminino é MAHA SHAKTI ou a Grande Mãe no Oriente. Na tradição cristã, a Grande Mãe é o ESPÍRITO SANTO. Para um muito bom entendimento deste mistério fundamental, os praticantes avançados do sistema milenar TANTRA YOGA encaram a mulher com sabedoria e descobriram há muito tempo que ela é a expressão perfeita de MAHA SHAKTI, através de cuja adoração frenética se pode, portanto, facilmente descobrir DEUS PAI que está intimamente unido na eternidade com o aspecto feminino manifestado (o eterno feminino), por meio dos quais a Sua Vontade Omnipotente faz tudo aparecer em toda a criação (com a ajuda do Eterno Feminino).

O MICROCOSMOS da mulher está numa misteriosa comunhão e conexão com o Eterno Feminino MAHASHAKTI. Mais do que isso, toda uma série de descobertas científicas têm hoje em dia já assinalado que, na verdade, não foi a mulher que resultou de uma “costela” do homem, mas na verdade o processo foi exactamente o oposto. Na verdade, foi o homem que resultou de uma sui generis adaptação parcial que foi conseguida a partir do corpo muito mais complexo da mulher. Noutras palavras, a mulher não resultou a partir do homem, mas o homem resultou da mulher. Os praticantes avançados do sistema TANTRA descobriram este importante mistério há milhares de anos atrás. Por esta razão, eles têm objetivamente apreciado e adorado a mulher em todo o seu valor, com base num conhecimento profundo desta misteriosa realidade.

O sistema milenar de SHAKTA é uma prova viva dessa descoberta da superioridade do seu corpo e MICROCOSMOS. Além disso, o conhecimento dessa verdade fundamental era algo comum e natural há vários milhares de anos atrás. Isso explica por que o elemento feminino foi muitas vezes e totalmente divinizado em todas as culturas que são hoje em dia pejorativamente consideradas como “pagãs”. Em tempos imemoriais, foi dada a importância que a mulher merecia (NA HIPÓSTASE DE MULHER INICIADA) pela simples razão desta revelação fundamental.

O culto da Grande Mãe (MAHASHAKTI) ou da Grande Deusa Mãe que está em estreita ligação com a vida, agricultura, fecundidade, abundância de culturas, com os mistérios da vida amorosa com a continência, com as potencialidades extraordinárias que a mulher tem (incluindo a de praticar a continência amorosa com uma facilidade surpreendente) persistiu por muito tempo, mas a certa altura a mulher passou a ser, a pouco e pouco, destronada pelo chamado arquétipo do ideal masculino que estava e está em estreita ligação com virilidade, conquistas, coragem e força.

A morte das culturas nas quais se adorava correctamente a “GRANDE MÃE DO MUNDO” (que na realidade é MAHA SHAKTI) deu à luz a uma ordem social patriarcal, na qual os homens submetem a mulher à sua autoridade despótica. Por esta razão, a pouco e pouco, o estatuto da mulher foi deteriorando. Os templos antigos que foram consagradas à Deusa Mãe foram destruídos e no seu lugar outros foram construídos que foram consagradas a divindades masculinas. Desta forma, a gigante Eva (MAHA SHAKTI) que deu à luz a humanidade mudou o seu estatuto e, portanto, foi unanimemente considerado ter-se tornado a mulher estúpida e insubordinada, a sedutora malvada.

O pico desta queda do estatuto da mulher foi atingido quando alguém afirmou que, de facto, as mulheres não têm uma alma e não são humanas. Hoje em dia, sabemos que o apóstolo Paulo defendeu com veemência a completa subordinação das mulheres aos homens. No século 6, os teólogos chegaram a perguntar-se se as mulheres tinham alma ou não. Durante a Idade Média, as mulheres foram muitas vezes considerados de forma falsa e aberrante como sendo criaturas nojentas que tinham relações com o diabo. A inquisição apresentou uma caça às bruxas sem precedentes. Todos estes aspectos são ainda mais bizarros, se considerarmos que no Genesis é mencionado que o ser humano, noutras palavras, tanto a mulher como o homem, foi criado por DEUS como um ser andrógino, ou noutras palavras, tanto homem como mulher ao mesmo tempo.

No sistema de milenar de TANTRA YOGA, através do despertar gradual e da activação do estado de SHAKTI, a mulher torna-se, portanto, consciente de uma série de potencialidades extraordinárias, que na maioria das vezes se encontram adormecidas dentro dela, insuspeitas. É verdade que o tratamento a que a mulher foi submetida há milhares de anos, após o final do período matriarcal, fez com que ela regredisse muito. Por milhares de anos, foi repetidamente dito à mulher que ela é “estúpida”, “incapaz”, “inferior”, “impotente”, etc. Devido ao facto de que qualquer mentira que é repetida incessantemente acaba por, eventualmente, se tornar uma chamada “verdade”, a mulher, a pouco e pouco, foi convencida e passou a acreditar em todos os males que lhe eram quase incessante e repetidamente contados pelos homens ignorantes, despóticos, egoístas, insensíveis, ávidos pelo poder, dominadores e possessivos que, além disso, têm a falsa impressão de que são claramente superiores a ela. Desta forma, a regressão ocorreu, pela assimilação da mulher destas falsas crenças inabaláveis. Esse estado de facto faz com que hoje em dia o subconsciente das mulheres sejam mais frequentemente obstruídos por aberrantes falsas convicções, tais como: “a mulher é inferior”, a mulher nunca pode ter sucesso no que o homem tem”,” a mulher tem apenas falhas e não qualidades”, “a mulher não tem nenhuma espécie de capacidades extraordinárias em comparação com as do homem”.

À luz destas revelações, é óbvio que a descoberta de fazer amor com continência por um número muito grande de mulheres contribuirá para o surgimento de uma verdadeira revolução, no que diz respeito ao despertar e ativação das potencialidades fabulosas que existem no MICROCOSMOS de todas as mulheres que aspiram a despertar o estado de SHAKTI dentro delas. Para isso, as mulheres iniciadas (QUE SE DEVEM TORNAR MULHERES INICIÁTICAS O MAIS RÁPIDAMENTE POSSÍVEL) devem tornar-se cientes de que na sua maioria elas são as únicas que podem ensinar a fazer amor com continência aos homens.

A clara superioridade da mulher, no que diz respeito à realização de fusões amorosas com continência é um trunfo essencial no processo de despertar das potencialidades fabulosas que estão adormecidas em cada mulher que aspira a despertar o estado de SHAKTI dentro dela.

Aforismos e cogitações

1. Qualquer homem comum que ama uma única mulher, na maioria das vezes realmente ama duas mulheres, sem se dar conta. Uma delas é a mulher que realmente existe, e a outro é uma criação da sua imaginação.

2. A mulher não é inteira. A mulher na qual o estado de SHAKTI desperta cada vez mais começa a ser inteira.

3. O homem que nunca perdoa as pequenas falhas da mulher que ele ama nunca se vai alegrar correctamente nas suas grandes qualidades.

4. Quando DEUS PAI quer fazer algo extraordinariamente importante, Ele esconde isso aos olhos dos homens. Os iniciados já sabem que quando Deus quer fazer algo extraordinariamente importante, ele recorre à ajuda de uma mulher que já está preparada para manifestar aquilo que Ele quer fazer.

5. Quando uma mulher desperta completamente o estado de SHAKTI (poder feminino da natureza), ela torna-se logo em seguida uma ponte sui generis entre dois universos, o universo físico e o universo astral.

6. Em cada mulher extraordinária, existem milhares de facetas encantadoras, que são despertadas e que se começam a manifestar, por sua vez, fazendo assim com que o MISTÉRIO DO ETERNO FEMININO brote no mundo, em todo o seu esplendor.

7. No livro do Apocalipse, há uma citação profética que pode ser interpretada no sentido de que no futuro próximo a mulher vai começar a tornar-se consciente a um nível planetário das suas fabulosas potencialidades latentes. Assim, desta forma, ela vai começar a despertar gradualmente o estado de MULHER CÓSMICA, o que implica o despertar igual no seu próprio universo interior de todas as doze constelações zodiacais. Esse despertar pode ser facilmente alcançado através dos jogos amorosos com continência, transfiguração e consagração. Oferecemos-lhe esta citação significativa do Livro do Apocalipse: “E apareceu um grande sinal no céu: uma mulher! Ela estava vestida com o sol, e a lua estava sob os seus pés, e sobre sua cabeça uma coroa de doze estrelas (isto é uma alusão significativa das 12 constelações zodiacais) “- Apocalipse (XII. 1).

Uma citação importante do livro de Gitta Mallasz:

“DIÁLOGOS INSPIRASOS COM OS ANJOS”

“Anuncia a todos as novas leis de DEUS!

O que antes era impossível – agora é possível.

O que antes era sem valor – agora cai e torna-se pó.

O que antes era essencial – agora é obscuro.

O que antes era – agora desaparece no nada.

Mas a virgem, pura, imaculada, o ETERNO FEMININO permanecem.

Na sua cabeça encontra-se a misteriosa coroa de estrelas,

Sob os seus pés encontra-se a Lua.

No seu vestido raios do Sol.

Através do ETERNO FEMININO, o sorriso da CRIAÇÃO manifesta-se verdadeiramente.

Ela é o milagre que desliza sobre as águas.

A virgindade da sinceridade e pureza sempre renovada está presente na matéria e à Luz da Matéria.

Ela é a matéria-luz que brilha como um sol ofuscante,

Ela agora vive em cada um de vocês.

O sétimo filho da Luz,

Nasceu DELA (a Grande Mãe),

Ele, cujo nome é Sede,

Ele, cujo nome é Amor eterno.

O novo nome do ETERNO FEMININO é Co-parto.

Ela é a árvore que dá fruto sempre lá em cima e aqui em baixo.

Ela é a árvore que dá nela mesma

A Maçã de Luz em vez da

maçã envenenada.

Proclamação para todos: “A Libertação está próxima!”

8. Se o homem e a mulher não fossem polaridades opostas e complementares, sem dúvida, que teria havido uma grande paralisação se fossem idênticos. Para que a energia possa aparecer e amplificar-se em cada um deles, é que eles foram concebidos como polaridades opostas e complementares. Se a mulher e o homem não fossem como eles são e fossem idênticos, em seguida, uma grande paralisação teria aparecido na Terra. Quando a terra é plana a água não flui, mas estagna. Se a água não fluísse, a terra teria sido estéril.

9. Para uma mulher que descobriu o quão maravilhoso e gratificante é dar tanto amor quanto possível, não é difícil dar amor. Para tal mulher é difícil não dar amor sem medida, todas as vezes.

10. Não é nada difícil permitir-se ser despertada e maravilhada por estados sublimes e aspirações quando ama freneticamente e as estrelas derramam as suas energias misteriosas no seu ser aberto.

11. A mulher que mais e mais desperta do estado de SHAKTI também dá passos importantes para se tornar, assim, um ser completo.

12. Toda mulher vive e concentra a sua sensualidade em estreita ligação com o seu temperamento.

13. Assim que a mulher começa a despertar cada vez mais ampla e profundamente o estado de SHAKTI, ela também descobre desta forma que tem uma origem espiritual que ela nem sequer suspeitava antes.

14. A seta fica longe e atinge o seu alvo se o arco é forte. As nuvens movem-se rápido, quando o vento sopra constante e poderosamente. Da mesma forma, o sucesso do homem é diretamente proporcional à energia oculta da sua mulher adorada e com todas as qualidades do seu amante.

15. A mulher que despertou o estado de SHAKTI torna-se, assim, ciente de que em e através dela é manifestada aquela suprema força feminina que queima e que faz com que as faíscas da vida brotem em chuveiros incessantes. Ela sente muitas vezes que ela é essa substância divina indescritível que jorra em maravilhosos chuveiros de cores quando ela admira a beleza da natureza. Ela sente intuitivamente que é numa maneira indescritível o brilho encantador da água. Ela sente inefavelmente que existe na respiração subtil de tudo o que vive. Ela sente que respira em uníssono com a relva, com as flores e com as árvores. Quando ela admira as águas que fluem como os seres vivos, sente simultaneamente que flui em uníssono com eles. Quando a força feminina colossal e benéfica da GRANDE MÃE (MAHA SHAKTI) se manifesta totalmente através dela, ela sente que está entre as colunas fundamentais que sustentam toda a Terra… Ela acha que todos esses fenómenos maravilhosos que a rodeiam vivem em uníssono com ela, porque ela está neles e eles estão nela. Muitas vezes, quando ela está na natureza, sente-se unida à fonte secreta da vida. Ela sente que é a sabedoria de Deus. Quando a explosão de um trovão que pertence ao verbo criativo de todas as coisas se manifesta, ela intui que esse som criativo é ela mesma. Às vezes, ela sente que existe dilatada na imensidão em todos os seres, apoiando-os para que eles não morram. Quando ela faz amor freneticamente, ela sente que é a vida misteriosa que existe em todos e em tudo.

16. Uma ponte é o que nos permite passar de uma margem à outra. Quando a ponte desmorona, existem margens, ainda que não haja mais comunicação nem passagem. Isso ocorre quando a mulher não tem conhecimento de seu propósito neste mundo.

17. SHAKTI

Ela é a força feminina do arco tenso

Que está em processo de lançar a seta.

Ela é a ponte insuspeita,

Ela é o movimento da energia KUNDALINI

Que ascende

A partir de CHAKRA em CHAKRA.

Ela é a quietude aparente da

Criação de Deus.

Ela é o sinal e o símbolo

Quem fala somente para aqueles capazes de entendê-la.

Ela é a mãe, a irmã, o amante e a amante.

Ela é tudo o que está presente na manifestação.

Ela conhece todos os caminhos,

Mesmo aqueles que conduzem aos mundos subterrâneos.

Ela leva-nos ao centro

Nos caminhos secretos dos labirintos.

Ela sabe o Nome misterioso

Isso abre o portão do conhecimento.

Ela ajuda-nos a elevar a nós mesmos

Das profundezas do tenebroso

E nos catapulta para a luz divina.

A grande maioria dos homens

Ainda não descobriram

O seu maravilhoso esplendor celeste.

Quando ela faz o seu

Poder insuspeito

Aparecem em todo o seu esplendor

Os Homens correm apavorados

Desse essencial

Esplendor feminino.

Eu sou sempre a mesma

Que tenho sido sempre

Nos inícios

Quando o mundo estava a cambalear.

Eu esperei pacientemente

Por ser redescoberto.

Quando o reinado dos

Homens guerreiros, incapazes de me descobrir

Chegar a um fim.

18. O estado de força de um SHAKTI

No Tarot, carta nº. 11, que evoca a Força, simboliza o poder colossal da feminilidade. Para uma SHAKTI, esse poder torna-se capaz de domar e dominar a animalidade. A força misteriosa da mulher fascinante que despertou totalmente o estado de SHAKTI é ilimitado, pois desta forma ela conecta-se a uma esfera infinita de força que existe no MACROCOSMOS. O leão que tem as patas fortes está bem perto dela. A boca forte e poderosa do leão está agora aberta com a ajuda das mãos suaves da mulher que tem despertado o estado de SHAKTI. O leão tem dentes fortes, mas ainda não será capaz de morder a mulher que tem despertado o estado de SHAKTI, porque ela mantém a sua boca aberta e o leão não lhe pode resistir. A mulher que tem despertado o estado de SHAKTI consegue fazer isso sem esforço. A sua força misteriosa que ela manifesta é de tal natureza para a mulher que tem despertado o estado de SHAKTI que é um jogo para subjugar o poderoso leão e para mantê-lo incessantemente sob a sua influência irresistível. Qual é a natureza dessa força misteriosa, superior até mesmo ao mais forte dos animais, o leão? Esta força, que vence tudo e à qual nada resiste é a força misteriosa de SHAKTI que é, sem dúvida, a força mais poderosa no mundo. Na força misteriosa de uma SHAKTI, o amor também está presente. O amor é a energia misteriosa sem fim que vem de Deus e nos leva para a unidade. Quando a força do amor incomensurável se manifesta no ser humano, ele começa a amar todo o universo. Por esta razão, a mulher em quem o estado de SHAKTI desperta sente-se em união com tudo o que existe e tem uma nova vida. No ser de uma mulher que tem despertado o estado de SHAKTI, o amor é a força mais poderosa no mundo. Para uma SHAKTI, o amor é a vida, o amor é o alimento do seu ser. Para uma mulher que tem despertado o estado de SHAKTI, o amor é Deus eterno.

19. Através de amar sem medida os seres do sexo oposto que merecem o nosso amor, transfigurando-os, envolvendo-os em jogos amorosos com continência, é muito bom ir até ao fim no caminho espiritual no qual todas as nossas aspirações sublimes são cumpridas. Especialmente depois, a mulher torna-se capaz de materializar, através de sua manifesta natureza, as aspirações divinas do homem. Por sua vez, o homem recorre à ajuda da força criadora colossal da mulher e, desta forma, ele é catapultado para a luz divina. Quando, no final, atingirem o estado andrógino glorioso, eles vão juntos e terão forças iguais. Por outro lado, se a mulher não ascender, então ela destrói o homem. Por sua vez, se o homem não despertar totalmente em si o Reino do Pai Celestial, então ele perde-a.

20. O pleno despertar do estado de SHAKTI por um número muito grande de mulheres vai, assim, gerar a aparição da mulher superior no futuro deste planeta.

21. A fim de despertar o estado de SHAKTI, a mulher deve estar, entre outras coisas, com sede de liberdade; ela deve corajosamente explorar os seus mistérios e, sendo muito atenciosa com o que descobre, ela não deveria dispersar-se.

Os Mistérios do Estado de SHAKTI

Um antigo provérbio popular diz: “Atrás de cada homem famoso existe sempre uma grande e forte mulher”. No caso dos divinos, heróicos e perfeitamente continentes homens, como SHIVA ou KRISHNA, é bem sabido que atrás deles havia um monte de mulheres extraordinárias, tais como PARVATI ou RADHA, que tinham completamente despertos o estado de SHAKTI com a ajuda do seu formidável e masculino poder viril (VIRYA), que, como se sabe, é um dos seis atributos lendários de ISHVARA. Por exemplo, hoje em dia é bem conhecido que uma das realizações lendárias do deus Krishna foi quando ele simultaneamente fez amor com continência e transfiguração com as 10.000 mulheres pastoras entre os quais estava RADHA (que posteriormente se tornou na sua famosa amante). No que diz respeito SHIVA, também se sabe que ele também tinha muitas amantes nas quais ele despertou o estado de SHAKTI seguindo os jogos amorosos frenéticos que foram sempre realizados com continência e transfiguração.

O LINGAM que é adorado na Índia como um lendário símbolo de Shiva na verdade ilustra de uma forma muito clara e eloquente o ESTADO DE PERFEITA CONTINÊNCIA DE SHIVA. Uma PERFEITA CONTINÊNCIA AMOROSA permite à pessoa que o alcançou uma união amorosa infindável com seu amante, sem ejacular. Desta forma, o homem é dotado de uma vitalidade absolutamente extraordinária, sendo capaz de fazer amor com a sua mulher adorada não importa por quanto tempo, satisfazê-la amorosamente de uma maneira plena e profunda. Todas as mulheres são perfeitamente dotadas de uma forma nativa de Deus, a fim de praticarem jogos amorosos com continência. As mulheres podem facilmente atingir estados esmagadores de ORGASMO sem DESCARGA nos quais elas podem permanecer por horas a fio. Quando elas têm uma GRANDE ENERGIA ERÓTICA e se fundem frenética e amorosamente com um homem que é perfeitamente continente, eles podem até atingir ESTADOS EXTRAORDINÁRIOS DE ORGASMO CÓSMICO e até mesmo ter a possibilidade de experimentar certas formas de ÊXTASE DIVINO (SAMADHI). Nesta escola de yoga há muitas mulheres excepcionalmente dotadas que atingem frequentemente tais estados amorosos extraordinários que estão em estreita ligação com o que se chama EROTISMO MÍSTICO SAGRADO enquadrado no sistema de TANTRA.

O caminho do erotismo sagrado permite aos dois amantes que fazem amor apenas com a continência, transfiguração e consagração descobrir Deus. Isso é algo natural e possível se tivermos em conta, antes de tudo, que Deus é amor, e onde há AMOR DEUS está presente também.

Ao agir deste modo, os dois amantes que frenética e imensuravelmente se adoram entre si combinam simultaneamente a necessidade de se transformarem espiritualmente com prazer, alegria, felicidade e êxtase divino amoroso. Os iniciados sabem que tais jogos amorosos são frenéticos e estão cheios de liberdade (que são também espelhos analógicos do jogo misterioso DIVINO DE DEUS (LILA)), são ao mesmo tempo: TAPAS; BRAHMACHARYA; KARMA YOGA; Tantra Yoga; Kundalini Yoga; Raja Yoga; LAYA YOGA; TRANSMUTAÇÃO biológica do potencial criativo SEXUAL EM ENERGIA; sublimação DAS ENORMES ENERGIAS resultantes para os níveis superiores do Ser; Hatha Yoga; ATIVAÇÃO gradual dos centros de força subtil (CHAKRA); O DESPERTAR progressivo do Estado andrógino; YOGA SAMADHI; EROTISMO SAGRADO; Alquimia interior; O despertar da empatia e habilidades telepáticas; FELICIDADE; POLARIZAÇÃO ERÓTICA completa e profunda; Natureza de cura certas afecções ou distúrbios; REGENERAÇÃO; HARMONIZAÇÃO CORPORAL E PSICO-MENTAL; O aniquilamento e a queima de tensões; A cura de traumas afetivos; AUTO-CONHECIMENTO EUFÓRICO; Múltiplas e variados ORGASMO QUE NÃO nos EMPOBRECEM; A EXPANSÃO inebriante da consciência do finito para infinito; DELICIOSO ESTADO DE TRANSE AMOROSO; O despertar ou amplificação da alegria de viver; ACUMULAÇÃO constante de OJAS; ETC. ETC.