Por Gregorian Bivolaru

Quando queremos despertar em nós os poderes espirituais latentes que têm estado adormecidos, ao longo de muitos anos de estagnação, devemos fazer o esforço necessário para isso acontecer. Não vamos conseguir desencadear qualquer força benéfica ou transformar qualquer aspecto do nosso ser, se permanecermos passivos. A Inércia não leva a lugar algum e não nos abre qualquer porta. Só podemos derrotá-la com força de vontade.

Devemos focar-nos, meditar, praticar técnicas de yoga adequadas e lembrarmo-nos que este caminho da evolução nos dá os melhores métodos para conquistar a inércia da mente e do coração, que muitas vezes são bloqueados por tensões, obscuridade e frieza.

yellow-brick-road-oz-ss-1920-800x450

Devemos ter sempre a aspiração de acrescentar algo benéfico à nossa existência, algo mais brilhante, algo mais acolhedor e algo mais cheio de amor. Antes de fazer qualquer ação, devemos ter um momento de introspecção, para que possamos trazer à nossa alma uma paz profunda, harmonia divina, imenso amor e depois, consagrar a Deus os frutos das nossas ações.

O início é sempre essencial. Este representa o momento em que as forças benéficas são acionados e orientadas. Para agir o mais correctamente possível, devemos começar sempre por pedir que desça pelo nosso ser a luz de Deus. Todos sabemos que quando a noite vem, não corremos em direcção à escuridão para iniciar uma ação. Em primeiro lugar, acendemos uma tocha e só depois agimos.

É o mesmo com qualquer atividade da nossa vida: em primeiro lugar, devemos iluminar e até mesmo melhorar dentro de nós mesmos a luz de Deus. Caso contrário, vamos tropeçar na escuridão e bater em muitas portas, sem sermos capazes de fazer qualquer coisa espiritual. Se estivermos atentos, abriremos um bom caminho para nós; se, pelo contrário, não estivermos lúcidos, iremos bloquear o caminho com todo o tipo de pensamentos e gestos destrutivos inúteis que nos trazem sofrimento constante.

Os adeptos do Yoga devem tornar-se conscientes de que a forma como eles começam uma ação é muito importante, especialmente se têm a aspiração de que a respectiva acção seja frutífera e cheia do sabor de Deus. Aquele que actua diariamente de uma forma positiva e divinamente integrado será capaz de irradiar esse aroma divino com grande poder. Ele deve saber que é importante desenvolver um pensamento profundamente benéfico, em torno do qual todos os outros pensamentos podem gravitar.

Se tivermos uma meta precisa para cada dia, uma determinada orientação completamente benéfica, um propósito sublime para atingir, todas as nossas actividades vão-se orientando lentamente, vão cristalizar, organizar-se e portanto, contribuir para a concretização do ideal espiritual que pretendemos atingir nesse momento presente da nossa vida.

Viva cada dia de Forma Admirável

Mesmo que alguns pensamentos e sentimentos estranhos e até mesmo negativos, possam tentar entrar na nossa aura, eles serão facilmente eliminados pela Luz Divina que existe dentro de nós. Assim, todas as energias do nosso ser serão levadas a seguir a direção que escolhemos. Positiva ou negativa.

Young Woman Running with Golden Retriever

Este pensamento ou sentimento fundamental coloca como que uma semente na nossa mente e no nosso coração no início de cada dia, ajudando-nos a participar assim, no grande livro da Vida Divina.

Na manifestação, tudo é armazenado nos registros Akashicos. Se vivermos pelo menos um dia maravilhoso, um dia que, provavelmente, pode significar apenas um segundo da vida eterna,  esse dia será armazenado nos “arquivos cósmicos”, Akashicos e desencadeará futuros dias semelhantes.

Sabendo isto, devemos sempre procurar viver cada dia de uma forma admirável, porque esse dia irá influenciar de uma forma extremamente benéfica aqueles que o seguem e torná-los cheios de felicidade, ordem, equilíbrio e harmonia.

Devemos aprender a agir de uma forma tão expandida quanto possível, de modo a que as nossas ações brilhem e sejam úteis para todos. Isto é o suficiente para transformar a nossa maneira de pensar. O ter consciência de que cada um de nós, que vive neste universo está intima e profundamente ligado a ele e é a cada momento, somos influenciados pelo universo e pela forma como interagimos com ele.

Tu és um Ser macrocosmico. Age macrocosmicamente!

Aqui fica um exercício muito simples para nos ajudar a tomar consciência do facto de estarmos integrados no universo.

4408159729_b4d1a11064_z_fotorMuitas vezes encontramo-nos entre as quatro paredes do nosso quarto, fisicamente isolados, longe do mundo. No entanto, podemos criar o hábito de, uma vez por semana, quando estamos nesse espaço, de sairmos daí com a ajuda do nosso pensamento, a fim de expandir para um espaço cada vez mais e mais vasto: expandimos do quarto para a nossa casa, para a rua onde estamos, a cidade em que vivemos; imaginamos que a respectiva cidade é parte de uma região e esta região é parte de um país; o país é parte de um continente, o continente está na Terra e a Terra é parte da família do sistema solar.

Agora podemos ver que, por sua vez, o sistema solar faz parte de uma galáxia e a galáxia é uma pequena parte do macrocosmo. Desta forma, iremos tornar-nos conscientes de que mesmo estando sozinhos na nossa sala, ou no quarto, estamos agora, também expandidos para o macrocosmo. E se agora somos seres macrocosmicos, porquê impôr  quaisquer limites a nós mesmos, por que não abrir os olhos e o coração e fazer ações que são macrocosmicas?

Este exercício dá-nos acesso fácil a um estado de expansão no ilimitado, muito importante para descobrir a profunda paz interior. Por que não usar os frutos de tal estado ao máximo?

Neste espaço de silêncio, preparamos as circunstâncias favoráveis para a manifestação das forças favoráveis divinas. Eles amam o silêncio e esperam sempre por essas condições que devido à agitação diária, lhes são oferecidas muito raramente. Quanto mais evoluído um ser humano é, mais esse ser precisa de silêncio e consequentemente, mais profunda a sua paz. E quanto mais estas forças estão perto, mais sentimos em nós a respiração misteriosa da eternidade.