O Tantra é muito mais que erotismo. O Tantra é o caminho espiritual que diz SIM à vida em todos os seus aspectos. O Tantra ensina-nos como viver a vida com extrema intensidade – completa consciência e desapego – a todos os momentos.

Através do Tantra podemos aprender a rendermo-nos – plenos de amor e lucidez – ao fluxo da vida. Desta forma a nossa vida torna-se numa lição continua e prazerosa, ensinando-nos tudo o que precisamos de saber, transformando-nos para o melhor que podemos ser, realizando todo o nosso potencial, aperfeiçoando-nos.

O Tantra é um caminho espiritual que pode ser aprendido por todos. É um conjunto de teorias e práticas dedicadas a alcançar a iluminação e transcendência, enquanto vivemos o nosso dia-a-dia na Terra. Na verdade, as práticas tântricas estão orientadas para aliar a vida interior com o mundo exterior, a espiritualidade com a energia da vida. Por esta razão, o Tantra é, por excelência, um caminho de amor. No Tantra, o caminho para a espiritualidade acontece através do coração do praticante.

fde94a562ff80aeb5a94baf48a509f58

O Tantra não se limita à sexualidade. Mais do que qualquer outra coisa, o Tantra é uma atitude espiritual interior. De modo, a entendê-lo e logo sabiamente praticá-lo, é necessário abertura de espírito, inteligência e coragem. Por esta razão, poucas pessoas são capazes de praticar Tantra, embora existam muitos que pensam que podem fazê-lo.

Informações correctas sobre técnicas e métodos de abordagem, e supervisão constante de um mestre tântrico são as condições básicas para uma prática tântrica genuína. Mais famoso do que conhecido, o Tantra é uma ciência milenar que se refere à vida do homem e à sua evolução espiritual.

Decorrente da combinação de palavras em sânscrito “Tan”, que significa teia, entrelaçar, rede e também expansão, juntamente com a palavra “Tra”, que significa instrumento, a palavra “Tantra” significa, numa primeira tradução, um conjunto de métodos e instrumentos (que se estruturam numa rede), a fim de alcançar uma expansão de consciência ou a criação de uma rede de conexões entre os elementos conscientes da realidade que estão aparentemente separadas, obtendo assim uma compreensão maior e mais abrangente da realidade.

O que a grande maioria das pessoas não sabe é o facto de que, o Tantra é a raiz espiritual de onde, há muito tempo, derivaram juntamente com adaptações às condições de vida e evolução locais, importantes ramos do yoga, tais como Tantra Tibetano ou Tantra Budista. Devido à falta de informação correcta e coerente, assim como à falta de prática, hoje em dia o Tantra é considerado, sobretudo no Ocidente, como um conjunto de estranhas práticas sexuais apenas no intuito de prolongar o prazer sexual e melhorar o desempenho a este nível, sem contudo referir as transformações profundas do ser durante esta experiência super-sensual. Esta é apenas uma visão superficial. Na realidade, o Tantra permanece como um dos sistemas mais espectaculares que nos foram transmitidos desde os tempos antigos, com o objectivo de orientar os candidatos para um estado espiritual elevado e realização, ajudando-o a ultrapassar com sucesso as limitações que foram auto-impostas durante o processo de desenvolvimento da personalidade.

O Tantra está directamente orientado para a verdade e não para perder-se em formalismos estéreis que protegem e amplificam o labirinto sem sentido do ego. Por essa razão, sabendo muito bem que “a verdade assusta o pervertido ou os ignorantes”, podemos perceber que, muitas vezes, em torno dos ensinamentos do Tantra se teceram lendas e mitos que tendem a afastar o aspirante superficial do seu verdadeiro caminho. No panorama do sistema espiritual que genericamente chamamos de “Tantra”,  a física e  a metafísica, a ciência e a espiritualidade não podem ficar separadas, mas estão unidas numa síntese ousada e profunda que traz tudo o que é valioso, de cada um à luz do conhecimento directo.

“Tantra, ou seja, o culto do êxtase é um caminho espiritual baseado na experiência mística do jogo, ao invés de dogmas rígidos, como alguns erroneamente acreditam. Os Tântricos suportam a vida como um todo e aprendem a descobrir o brilho divino no interior do ser humano. Os Tântricos usam todos os sentidos, a sua mente e espírito para alcançar o topo das experiências místicas.”

1*El8KiNeIym1XZVK8bOXNSg

Uma tentativa de Classificar os vários Ramos do Sistema Tântrico:

O TANTRA YOGA parte da ideia de que a nossa sexualidade e os nossos impulsos sexuais representam, na verdade, um impulso metafísico degradado. Em outras palavras, de que as nossas aspirações espirituais mais elevadas estão aprisionadas na matéria e na forma da sexualidade.

O único problema que surge é que “mau uso” dessa força fundamental da sexualidade tornando-se algo prejudicial para a evolução espiritual de uma pessoa. Caso contrário, a sexualidade representa uma tendência fundamental para unir (+) e (-), Solar e Lunar, YANG e YIN, Masculino e Feminino, HA e THA, a fim de atingir o estado final de União, a neutralidade do Absoluto (0), a paz da androginia espiritual que acumula todas as potencialidades de manifestação. Este objetivo, que na verdade é comum em todos os caminhos espirituais do nosso planeta, é alcançado dentro do TANTRA de várias maneiras, o que dá origem a vários ramos dentro do sistema tântrico.

Geralmente, os especialistas dividem o TANTRA em duas correntes principais: o TANTRA do caminho da Direita e do caminho da  Esquerda.  Se os métodos reais e físicos de união erótica são usados, então estamos a lidar com o TANTRA do Lado Esquerdo, se são usadas apenas técnicas simbólicas ou meditativas (e a interacção erótica física é excluída) estamos a lidar com o TANTRA do Lado Direito.

Muitas vezes é muito difícil traçar uma fronteira nítida entre essas duas divisões, uma vez que existem escolas que usam métodos pertencentes a ambos os caminhos. O TANTRA da Mão Direita frequentemente corresponde a alguns grandes caminhos espirituais ascéticos do nosso planeta, nos quais se busca a união com uma entidade divina, personificação, encarnação e assim por diante, ou às vezes apenas com seres sobrenaturais de vários níveis. Embora tratemos aqui de um tipo de relacionamento “sexual”, não é uma manifestação sexual real que encontramos, mas sim uma forma sublime, espiritual e às vezes simbólica de interagir, mais próxima do que chamamos de amor. Um dos exemplos mais acessíveis para o entendimento ocidental comum é o do “fazer amor astral”, ou seja, as experiências eróticas que podem ocorrer durante os sonhos.

Embora a tradição afirme categoricamente que o TANTRA da Mão Direita é o mais alto dos dois ramos, os Mestres também afirmam que os homens atuais de KALI YUGA, especialmente no Ocidente, por causa do aspecto mais grosseiro (ou materialidade) do seu espírito, são praticamente incapazes (com raríssimas exceções) de seguir esse caminho, que começa de um ponto que é alto ou “abstrato” para eles o entenderem e praticarem. Portanto, somos aconselhados para o TANTRA da Mão Esquerda, que parte de uma situação mais com o “pé no chão” ou concreta e é mais adequada para o nosso nível.

Como já foi dito, o TANTRA da Mão Esquerda  envolve realmente a prática de actividades eróticas físicas; por essa razão, alguns estudiosos especulam (por exemplo, que o caminho da mão direita é “certo” e, portanto, o outro deve estar “errado”). Uma grande quantidade de “moralistas” e não iniciados, amadores, consideraram o TANTRA do Lado Esquerdo uma heresia horripilante e um desvio espiritual, conectado com fornicação e magia negra que não poderia levar a quaisquer realizações espirituais. Mesmo hoje, quando a moral se tornou vaga (às vezes muito vaga), VAMA MARGA, o Caminho da Mão Esquerda ainda é visto com ceticismo por pessoas de mente limitada e sexualmente frustradas, e por pessoas que nunca experimentaram os seus métodos na prática. No entanto, deve ser claramente afirmado que no TANTRA do Lado Esquerdo, a interacção erótica não é praticada pelo sexo em si, mas como um instrumento para ir de alguma forma além do sexo, para alcançar saúde, equilíbrio, melhores relações de casal, auto-controlo, habilidades sobrenaturais e, eventualmente, estados superiores de consciência, culminando com o estado de Consciência Cósmica, ou SAMADHI (como é chamado no YOGA).

Aqui, também é útil mencionar que existem caminhos que são de alguma forma colocados na “fronteira” entre os caminhos do Lado Esquerdo e do Lado Direito, ou que unem e usam métodos pertencentes a ambos os caminhos harmoniosamente. Um exemplo surpreendente pode ser encontrado em certas escolas de HATHA YOGA; poucos sabem que a palavra ‘HATHA’ vem de duas raízes sânscritas HA – Sol e THA – Lua, o que torna HATHA YOGA a disciplina da “União do Sol e da Lua”, ou dita de outra forma do (+) e  do (- ) e do Masculino e do Feminino. Portanto, o genuíno HATHA YOGA é uma espécie de TANTRA em que a união dos aspectos Masculino e Feminino ocorre dentro do ser do praticante, através de métodos específicos e assim se atinge uma condição final de equilíbrio interior, harmonia e poder. É um facto bem conhecido de que o HATHA YOGA é um instrumento tântrico típico para treino, portanto, na maioria das  ASHRAMS TÂNTRICOS da Mão Esquerda, é considerado uma prática indispensável. É por isso que no nosso curso haverá referências e exercícios frequentes pertencentes ao sistema de HATHA YOGA. No entanto, voltando ao tópico inicial deste parágrafo, pode-se notar que os estudiosos ainda têm dificuldades em decidir se o HATHA YOGA pertence ao caminho do Lado Direito (uma vez que a interação erótica física não está necessariamente envolvida) ou ao caminho do Lado Esquerdo (sendo físico e leva a uma espécie de ” interação sexual interior” física). Mas, para os verdadeiros praticantes, todas essas distinções têm pouca importância, uma vez que se referem principalmente aos resultados práticos e eficazes da sua disciplina espiritual, e não a especulações teóricas.

Deste último ponto de vista, é possível distinguir duas direções principais para o uso da energia sexual: a evolucionária e a “mágica”.

  • A primeira ensina que as técnicas tântricas e a sua energia resultante devem ser usadas para atingir o autoconhecimento, para a evolução espiritual e para a Auto-Realização ou Consciência Divina. Isso pode ser feito tanto por um praticante individual que busca a Verdade, ou por um casal que busca a Transcendência, neste caso, a realização assume a dimensão adicional de tornar o seu relacionamento, baseado em amor, tangente à Eternidade. Este último, embora muito querido e tentador para a alma humana, envolve um grande compromisso espiritual e abnegação de ambos os parceiros e é uma realização rara e excepcional;
  • A segunda direção permite o uso de energia de forma controlada para atingir todos os tipos de objetivos mundanos, como (saúde, sucesso, riqueza, poder, sedução, influência, habilidades sobrenaturais, etc.) de uma maneira quase “mágica” (a palavra mágico provavelmente não é a mais adequada, pois muitas vezes evoca um ambiente oculto, sinistro e sufocante, mas tem sido usada na ausência de uma melhor). Aqui, muitas vezes é difícil encontrar um limite claro entre as duas direções, uma vez que existem escolas e profissionais que as seguem ao mesmo tempo. No entanto, do ponto de vista do uso da energia de uma forma “mágica”, três formas principais possíveis foram acordadas. Eles são convencionalmente chamados de:

“TANTRA branco”, em que a energia é usada exclusivamente para fins benéficos, superiores, espirituais, como cura, apoio psíquico e avanço da evolução espiritual, etc;

“TANTRA vermelho” dedica-se inteiramente a obter o máximo de prazer e satisfação pessoal possível, de uma forma algo egoísta e sem qualquer horizonte espiritual. No entanto, não envolve nenhuma ação maligna, demoníaca ou satânica, ou dano a qualquer ser senciente. Essa direção ou desvio é bastante típico dos praticantes ocidentais;

“TANTRA negro” é direcionado para realizações obscuras que se relacionam com mundos obscuros de natureza demoníaca e até satânica, e cujos resultados são prejudiciais para os seres sencientes, para a evolução espiritual e geralmente para todo o equilíbrio universal;

Deve ficar claro que na nossa escola estão presentes apenas aqueles elementos de TANTRA que dizem respeito à evolução espiritual, desenvolvimento pessoal (ou de casal) e obtenção e uso benéfico de capacidades paranormais. Porque para os YOGI-s é um facto bem conhecido que o egoísmo e o mal criam uma cadeia sem fim de sofrimento humano e que a lei do KARMA (de causa e efeito, ação e suas consequências) “paga” de volta – mais cedo ou mais tarde – todos os erros de uma pessoa. Portanto, se quisermos estar alinhados com o caminho benéfico acima mencionado, podemos dizer que estudaremos elementos de TANTRA do caminho da Mão Esquerda, conectados quando necessário com elementos de HATHA YOGA e TANTRA do caminho da Mão Direita, dirigidos para a evolução espiritual do indivíduo ou do casal e – quando possível – para os uso “branco” da energia. Sempre que for considerado necessário, elementos de outros caminhos espirituais paralelos também serão adicionados, tais como: Sexualidade TAOista, IMSAK, outros ramos do sistema YOGA, e assim por diante. Além disso, elementos da sexologia moderna e as pesquisas mais recentes em medicina, fisiologia, física e química serão usados para melhorar a compreensão desses tópicos.