por Gregorian Bivolaru

O termo “centrar” significa, neste contexto, focar a atenção dentro do nosso ser e experienciar o momento presente ou seja, não desviar ou projetar a mente nas reminiscências de eventos passados ou na imaginação de eventos futuros. Equilibrar o nosso ser significa também harmonizar profundamente todas as nossas energias (mentais, espirituais e físicas), bem como acalmar, o mais profundamente possível, a agitação psico-mental habitual (pensamentos e emoções parasitas, etc.). Neste estado de centralização interna, a nossa atenção concentrar-se-à com maior facilidade em qualquer elemento de meditação, uma vez que estamos simultaneamente presentes, lúcidos, relaxados e receptivos a energias elevadas. 

Inner-Peace-Is-Meditation-The-Path-scaled

Para este procedimento muito simples, é preferível sentarmo-nos numa cadeira, com a coluna perfeitamente direita e com as duas solas dos pés totalmente assentes no chão, com as palmas das mãos nas coxas e de olhos fechados.

  • Primeiro, percorreremos todo o nosso corpo com a nossa consciência, de baixo para cima, muito lentamente, das solas dos pés até o topo da cabeça. Ao mesmo tempo, relaxamos o mais profundamente possível todos os músculos nos quais focamos também a nossa atenção ao mesmo tempo que respiramos naturalmente e sem qualquer interferência.
  • Depois de terminarmos esta “exploração” relaxada de todo o corpo físico, direcionamos a nossa atenção para o processo respiratório que ocorre normal e naturalmente. Ao mesmo tempo, visualizamos ao nosso redor uma esfera de luz branca brilhante.Quando inspiramos, notamos como essa luz branca e brilhante flui cada vez mais para o nosso ser, até nos preencher completamente. Quando expiramos, tomamos consciência da eliminação de todos os estados de tensão, stress, ansiedade etc. (por outras palavras, todas as influências ou energias más ou aspectos perversos) do nosso ser. Continuamos a respirar conscientemente dessa forma, até sentirmos um estado de profundo relaxamento, sustentado por paz, serenidade e alegria interior. Se observarmos que a mente tende a distrair-se, gentilmente, mas com firmeza, voltamos a atenção para o processo respiratório descrito acima.

Depois do estágio anterior concluído com êxito, visualizamos pequenos canais de energia subtis (NADIS) que saem pelas solas dos nossos pés e pela parte inferior da coluna, estendendo-se cada vez mais até que se pareçam como raízes que nos ligam às energias subtis benéficas da Terra.
Continuamos este processo de visualização criativa combinada com a respiração consciente, até sentirmos como essas “raízes” subtis bio-energéticas nos conectam ao centro da Terra, resultando num profundo sentido de segurança e tranquilidade.

Agora, (depois de concluirmos com êxito a etapa descrita acima), tornamo-nos conscientes do facto de conseguirmos “respirar” por essas “raízes” subtis. Absorvemos assim as energias subtis telúricas benéficas, capturadas no centro subtil da Terra. Apercebemo-nos de como esta energização acontece ao longo do nosso ser, subindo ainda mais, como se sugados por uma bomba de sucção, continuando até nos sentirmos, por completo, com essa energia vital.

A seguir, focamos a nossa atenção no topo da cabeça (acima da cabeça), na área que está em estreita conexão com a abertura subtil secreta em direção a Deus – BRAHMARANDRA.

Visualizamos como desta área os canais de energia subtil (NADIS) aparecem e se estendem cada vez mais acima, até que eventualmente se estendam até ao céu, colocando-nos em conexão com o Sol, os planetas, estrelas e galáxias. Ao mesmo tempo, durante cada inalação, absorvemos no nosso ser, através desses canais de energia subtis, a energia cósmica subtil que entra no nosso ser através do topo da cabeça até  todo o nosso ser.

Visualizamos também, sempre que respiramos, que respiramos simultaneamente estas duas correntes subtis de energia benéfica, a telúrica e a cósmica, ambas inefavelmente fundidas ao nível do coração (ANAHATA CHAKRA), onde elas irradiam dentro de todo o nosso ser.

Após esta etapa, retomaremos à consciência do corpo fisico e abriremos suavemente os olhos. Tomamos consciência de um estado de harmonia profunda e integradora e do equilíbrio perfeito em todo o nosso ser.

InnerResources