Por YogaEsoteric

O controlo da ejaculação é fundamental para a continência sexual.

Muitos textos tântricos e taoístas falam do controlo da ejaculação. A primeira imagem que eles usualmente despertam no leitor é a de uma torneira que é fechada ou a de uma contracção perineal e genital com o objectivo de reter a energia. Não se trata de forçosamente desligar o fluxo natural, nem de controlar ou reter uma energia que sabe muito bem onde quer chegar, nem parar com todos os meios um processo que já começou. 

As estatísticas ocidentais mostram que o tempo que um homem precisa para atingir o estado de orgasmo com descarga (ejaculação) é de cerca de 10 minutes, mas este período tem diminuído nos últimos ano devido ao stress nervoso, alimentação inadequada, álcool, cigarros, café. Tudo isto produz uma redução considerável da virilidade de um homem. Para as mulheres as coisas são completamente diferentes. O tempo necessário que uma mulher precisa para atingir o primeiro estado de orgasmo ao fazer amor é no mínimo 20 minutos. Ligando estas 2 situações, nós conseguimos perceber porque é tão difícil para uma mulher experienciar um estado de satisfação e realização amorosa no casal se o homem não é continente. Para além disso, a mulher tem a habilidade natural de controlo a descarga do potencial sexual, o que muitas vezes para o homem é extremamente difícil. E por esta razão é muito importante que este processo de controlo da energia sexual pelo homem seja compreendido e aplicado o melhor possível.

bliss-colours-1

Na realidade, o principio autêntico de não-ejaculação não é o bloqueio das energias que já estão em movimento, mas fazer com que elas não se dirijam para a ejaculação. Por outras palavras, isto significa a expansão da carga energética dentro do nosso ser, dirigindo para a área da nossa cabeça, para que a energia que se acumula durante a excitação erótica não atinja esse grau de pressão que torna impossível segurar. Se atingir este ponto, a energia saí juntamente com o esperma, como o vapor através de uma válvula que o emite.

Esta é uma verdadeira abertura de energia, duplicada por uma abertura emocional. Aqui aplica-se a metáfora do famoso mestre Zen. Quando lhe perguntaram “Como pode uma pessoa controlar a mente?”, ele respondeu: “A melhor forma para controlar um touro é dar-lhe espaço suficiente para pastar. O mesmo é válido para nós também. Se queremos atingir o silêncio perfeito na meditação, não nos podemos deixar impressionar pelas imagens diferentes que iremos encontrar na nossa mente. Deixemo-las entrar e sair, elas estarão sobre o nosso controlo. Mas isto não é fácil. Quando tentarmos atingir um estado de paz interior, não teremos sucesso em permanecer sentados. E quando tentaremos sentir que nada nos incomoda, o nosso esforço não será o que precisamos. O único esforço que nos pode ajudar é focar na exalação e inalação. Nós chamamos a isto focar, mas focar a nossa atenção num objectivo preciso não é o propósito real da meditação. O propósito real é ver as coisas como elas são e permitir que as coisas se desenvolvam como elas se devem desenvolver. A atitude é aquela que nos irá permitir ter tudo controlado. Meditar significa abrir a nossa pequena mente e, devido a isto, focar é apenas um instrumento que nos irá ajudar a perceber a mente grande ou a mente que está em todo o lado.”

0_0_0_0_250_409_csupload_64667807O principio do “controlo da mente” pode ser aplicado também para controlar a ejaculação. Neste caso aplica-se a não deixar-nos ficar impressionados com as sensações que sentimos nos órgãos genitais, deixá-las vir e ir sem tentar acalmá-las e simplesmente seguir o ritmo da nossa respiração. Quanto mais focamos intensamente a nossa atenção na inalação e exalação, mais fácil fica para nós controlar a energia sexual. Mas isto demora tempo, não pode ser atingido como se apenas aplicássemos uma “técnica rápida”, pois estar consciente mentalmente e estar consciente da nossa própria energia sexual é na realidade a mesma coisa. Os textos tântricos recomendam um intenso, perseverante e adequado treino de hatha-yoga, quer para a purificação subtil (nos canais energéticos pelos quais a energia sexual será direccionada), quer para aprender correctamente os mecanismos de transmutação, sublimação e controlo.

Quando nós bloqueamos a ejaculação, não significa necessariamente que este resultado esteja a mover a carga energética para outros lugares, ao nível do corpo inteiro, nem significa entrar nos mesmos estados de meditação. Na realidade, é mais provável que este esforço apenas adicione mais tensão àquela que já existe dentro de nós. O segredo completo de preservar o esperma é relaxar cada vez mais e seguir com a nossa mente a direcção da energia através do nosso corpo físico através do canais que a natureza nos deu, de maneira a atingir onde quer que queira ir. O homem deve estar completamente relaxado e totalmente consciente do que está a acontecer dentro dele. A energia sexual fica balanceada no triângulo formado por excitação, relaxamento e consciência, que, começando do centro sexual, expande até na pélvis e em todo o corpo. 

Em muitos livros recentes de Tantra, há uma certa confusão entre o estado psico-físico e o fenómeno da não-ejaculação. Quando se aproxima dos níveis superiores de orgasmo, nós entramos em estados meditativos, onde todo o nosso ser é absorvido de tal forma que não sentimos qualquer estímulo para ejaculação. Deixa de ser necessário expelir a acumulação de energia, pois encontrou-se outras formas de expansão. E nós não iremos “segurar” nada, nós iremos simplesmente estar tão relaxados no que respeita à nossa carga energética que isto irá expandir por si, sem focar nos órgãos genitais. Irá ir para outro local qualquer, elevando para os níveis dos centros superiores (chakras). Este fenómeno é conhecido como sublimação.

Igualmente, quando estamos absorvidos em meditação, nós não sentimos nenhum impulso de mover e sentimo-nos muito bem e relaxados nessa situação, mas a habilidade de ficar quieto é apenas efeito e não a causa desta disposição que a meditação torna possível. Pelo contrário, se chegamos do trabalho muito tensos e nos sentamos numa cadeira, forcando-nos a ficar ali por meia hora sem mexer, esperando entrar num estado de meditação, é muito provável que o resultado seja apenas o de ficarmos ainda mais rígidos.

Na visão oriental, viver o estado de orgasmo normal (com descarga) conduz a disponibilidade limitada no tempo, a exaustão, à perda de vitalidade, diminuí o poder afectivo e mental, trás sonolência. Excessos nesta direcção irão inevitavelmente levar à rejeição instintiva da pessoa amada ou de nós próprios. Pelo contrário, aplicando com sucesso o controlo da energia sexual leva a uma amplificação do prazer amoroso, e do estado de satisfação interior. Um estado de regeneração vital e rejuvenescimento aparece. Surge a eliminação do cansaço, a amplificação das capacidades mentais, o despertar do charme pessoal que será notado por todos aqueles à nossa volta. É um processo de expansão de todo o ser, não apenas sexual e é um processo que começa com um despertar de um interesse sério para o próprio ser com uma escolha – a escolha de tomar a responsabilidade da própria virilidade e bem-estar. 

Técnicas de Controlo de Energia Sexual

Técnicas de Controlo para Mulheres:

Na maioria dos casos, a prática de continência sexual é espontânea para as mulheres. Muitas mulheres praticam esta continência sem a terem aprendido nem perceberem exactamente o que se estava a passar. Assim as mulheres são confrontadas com menos problemas no que respeita a continência, e assim podem desfrutar dos prazeres deliciosos de orgasmos múltiplos sem descarga de energia sexual.

As mulheres podem facilmente ter orgasmos múltiplos durante o acto de fazer amor com continência. Algumas mulheres que são excepcionalmente talentosas e muito despertas eroticamente, podem atingir centenas de orgasmos em apenas uma fusão erótica. A amplitude e profundidade destes orgasmo é diferente em cada vez. Além disso, no fim a mulher não está exausta, em vez disso ela fica cheia de efervescência e vitalidade. Ela também tem uma extraordinária ânsia para começar a fazer amor novamente com energia aumentada.

  • Ashwini mudra

Um dos mais eficientes métodos para evitar a descarga do potencial sexual é fazer ASHWINI MUDRA por longos períodos de tempo.  Isto é, a forte contracção dos músculos do anûs, mantida por o maior período de tempo possível. Esta técnica é extremamente simples e pode facilmente ser feita nos “tempos mortos” durante o dia (ex: durante viagens). Apesar de não parecer complicado, ASHWINI MUDRA tem efeitos surpreendentes na obtenção do controlo da energia sexual quando praticado suficientemente.

  • Urinação Intermitente

Este processo envolve as sucessivas contracções e relaxamento do esfínter urinário durante a urinação. Desenvolver esta capacidade leva a um grande controlo dos músculos sexuais e à elevada consciencialização de alguns processos que ocorrem durante a descarga sexual. Isto também permite que a pessoa antecipe, e como tal evite, o clímax sexual.  Desta forma, a pessoa pode experienciar orgasmo sem desperdiçar a energia sexual.

A inexistência da descarga de energia sexual não deve ser confundida com estados de frigidez ou descontentamento, onde a mulher não sente prazer erótico com orgasmo. Fazer amor com continência é fortemente eufórico e regenerador.

  • Orgasmo Urinário

As mulheres podem facilmente atingir orgasmo, mesmo sendo frígidas, se elas beberem mais líquidos do que o costume antes de fazerem amor. Durante a relação sexual a mulher deve relaxar totalmente o esfínter urinário, como se fosse urinar. Aqui não deve haver qualquer preocupação ou medo, porque mesmo se os esfínteres estão muitos relaxados, a urinação não ocorre. Em vez disso, há uma energização substancial e o inicio do processo de orgasmo. Isto rapidamente leva inefavelmente ao estado de orgasmo sem descarga. Assim poderão atingir um tipo de orgasmo muito especial, o orgasmo urinário.

Técnicas de Controlo para Homens:

Normalmente os homens tendem inutilmente agarrar-se ao prazer débil que sentem durante o orgasmo com ejaculação. Mesmo que eles intelectualmente percebam a necessidade da continência sexual, eles ainda assim preferem seguir o seu instinto. Isto é devido a preguiça, conveniência ou simplesmente à falta de motivação espiritual que pode atraí-los para fora deste pântano.

Para justificar esta tendência inferior de alguma forma, os homens vão tentar encontrar vários pretextos exteriores. Na realidade, a única razão é o instinto animal da mente subconsciente. Portanto um treino rigoroso e disciplina são necessários para todos aqueles que ainda se confrontam com tais tendências inferiores. A prática de yoga oferece as condições necessárias para atingir esta continência sexual.

  • Ashwini Mudra

Um dos métodos mais eficientes para evitar a descarga do potencial sexual é praticar ASHWINI MUDRA por longos períodos de tempo. ASHWINI MUDRA é a contracção forte dos músculos do anûs, mantida pelo maior período de tempo possível. Esta técnica é extremamente simples e pode facilmente ser feita nos “tempos mortos” durante o dia (ex: durante viagens). Apesar de não parecer complicado, ASHWINI MUDRA tem efeitos surpreendentes na obtenção do controlo da energia sexual quando praticado suficientemente.

  • Urinação intermitente

Este processo envolve as sucessivas contracções e relaxamento do esfínter urinário durante a urinação. Desenvolver esta capacidade leva a um grande controlo dos músculos sexuais e à elevada consciencialização de alguns processos que ocorrem durante a descarga sexual. Isto também permite que a pessoa antecipe, e como tal evite, o clímax sexual. Desta forma, a pessoa pode experienciar orgasmo sem desperdiçar a energia sexual.

Atenção! Não confundir continência com a ideia de que o homem não sente prazer sexual, está insatisfeito ou impotente. Orgasmo sem ejaculação (a descarga sexual de energia) é fortemente eufórico e regenerador.

  • Penetração Lenta

Para obter perfeita continência sexual temos que iniciar a relação sexual com uma visão transfigurada da atracção erótica entre homem e mulher e manter esta transfiguração durante o acto de fazer amor. Ambos os amantes tem que compreender que a atracção sexual tem as suas raízes na atracção primordial entre o princípio masculino e o feminino; estes dois princípios governam a criação inteira. É por isto que fazer amor com continência sexual é um caminho espiritual. Os amantes podem mergulhar no amor primordial que nasce da fusão entre os princípios masculino e feminino. Assim fazer amor com continência sexual e uma forma de redescobrir a UNIÃO.

Conselho prático:

Leva o tempo suficiente, sê paciente e amoroso. No inicio, tens que aprender a penetrar a tua amante muito lentamente e a estar consciente dos estados de prazer que ocorrem.

Se sentires que a excitação aumenta imenso, tens que lentamente retirar o pénis de forma a que apenas 1-2 cm dele reste dentro da vagina da tua amante. Fica imóvel nesta posição. (se sentires que a ejaculação é iminente, retira rapidamente o pénis).

De seguida, inspira profundamente e retém a respiração; depois contraí os músculos pélvicos (os músculos do esfinter anal e os músculos PC).

Simultaneamente concentra a tua mente na retenção do esperma. Imagina-o; imagina que uma força alquímica interior transforma o teu esperma em energia. Isto irá ajudar a evitar a ejaculação.

Depois foca a tua mente de forma a sublimar a enorme energia que está contida no esperma.  Sublima as energias psíquicas, mentais e espirituais ao deixar que a energia do amor te inunde.

Depois deste pequeno intervalo, que pode durar entre 10-50 segundos ou mais dependendo da necessidade, poderás gradualmente e cautelosamente reatar os movimentos de penetração.
 Se sentires que a excitação ainda é muito intensa, podes fazer este procedimento muitas vezes.

Este método terá maior eficiência se ambos os amantes o praticarem em simultâneo (mesmo que um amante não tenha ainda chegado ao nível de estado pré-orgasmático).

Atenção!

No inicio temos que ter uma grande força de vontade e tenacidade. 

Também é melhor praticar esta técnica antes de atingir o estado pré-orgasmático do que depois, quando há menor possibilidade de parar o processo de ejaculação com sucesso.