Por Yogaesoteric

Já te perguntas-te o que é que “telepatia” significa realmente?  Já experimentaste? Já quiseste experimentar? Bom, podes e deves!

787fca5d5f6698f820cb283f1efdbdab.

A telepatia é comumente conhecida como comunicação “mente a mente”, sem os sons da linguística ou da fala. É uma forma instantânea de transferência de pensamentos e sentidos. Alguns pensam que é apenas “não linguagem”, mas não é. A simples telepatia pode até ser, mas a telepatia empática é uma linguagem carregada de comunhão silenciosa e é essa forma de comunicação que é na verdade natural para nós.

Alguns de nós sabem que as formas de pensamento podem ser transferidas de pessoa para pessoa, e até algumas tecnologias foram desenvolvidas com esse propósito. Existem também seres e entidades espirituais que podem ser telepáticos connosco. Eles podem transferir pensamentos ou sentimentos, ou ambos. Esta é uma cornucópia mista. Mas o que estamos a falar aqui é da Telepatia Empática, que é natural e orgânica para os seres vivos, uma maneira de ser gratificante possível de ser aplicada a todos e com todos os seres vivos.

A natureza tem uma linguagem que se comunica através de sons, aromas, cores, texturas e muito mais... incluindo as suas história e complexidades panorâmicas que somos incapazes de detectar e muito menos descrever para lá de uma comunicação telepática e cuja composição é comunicada com profunda e belamente. Inúmeros poemas ao longo da história foram escritos em humildes tentativas de descrever por palavras tudo o que já foi recebido.

Muitos leitores de tais poemas sentem a beleza deles, mas essa é principalmente a resposta dos escritores à sua comunhão com a Natureza que é nesse momento transmitida através dos poemas e, muitas vezes, por uma capacidade inepta de capturar por escrito tudo o que foi recebido. O leitor não pode experienciar o que foi transmitido telepaticamente ao escritor, apenas o que o escritor sentiu e tentou transmitir. É já alterado, mas ainda assim rico.

A telepatia empática é mais do que a transferência de pensamento. Essa é uma explicação tristemente dada sem sensibilidade. Telepatia é comunhão da mais alta ordem. É uma “linguagem” de uma complexidade múltipla de sentimentos dentro e ao redor do comunicador, que inclui todo o espectro da experiências do que está a ser comunicado.

Um ser de consciência superior, especialmente os dos reinos naturais, tem muitos sentidos e muitos deles podem ser expressos.

Podemos compreender não só os pensamentos em torno da comunicação, mas também toda a sensibilidade que ocorreu no momento em que a experiência foi expressa, bem como os sentimentos actuais de quem está a comunicar. 

Muitas vezes, o que foi transmitido inclui história. É uma comunhão ancestral e rica entre aqueles que expressam sentimentos, pensamentos, ideias, aromas e sons simultaneamente. O ambiente com as sensações únicas dos comunicadores, superando o espaço e o tempo,  num só instante.

Devem ter reparado no uso do termo “comunicador” e não apenas de “pessoa”, uma vez que a telepatia não se limita apenas a pessoas. A telepatia é alcançada com mais sucesso não apenas com pessoas, mas também com animais, os reinos verdes, os reinos minerais e etéricos. Isto envolve escutar e não apenas ouvir.

RS_Featured_Image_ThreeTypesofTelepathy

.

Escutar e ouvir são duas coisas diferentes. Audição é a detecção de um som audível sendo falado cujas palavras estão abertas a uma interpretação infinita. Tais comunicações, quando recebidas com uma mente agitada, são apenas escutadas. Muitas vezes ouvimos as pessoas dizer “estou-te a ouvir“ e, no entanto, sentimo-nos vazios, à espera de uma resposta apropriada que não surge. Ouvir envolve uma receptividade rica e é deliciosamente complexa e gratificante.

A telepatia empática não é apenas a comunicação “mente a mente”, mas a consciência com a consciência. Isto envolve um maior uso do cérebro, uma complexidade multi-sensorial com a qual somos naturalmente dotados.

A perda de telepatia e empatia vem de todas as formas institucionalizadas de educação e treino mental. São processos que moldam a mente da mesma forma como uma lâmina de aço é feita. É martelada e martelada, e aquecida, e martelada e martelada, repetidamente, continuamente, até que se torne numa lâmina. Foi temperada e moldado pelo ferreiro- E assim também a mente o é.  Doutrinada e inculcada em ser dominante no lado racional, esquerdo do cérebro, sendo mais comparada a um processador de computação. Esta é uma forma de controle da mente. Estas são instituições bem financiadas e organizadas, cujo objetivo é fazer com que aprendamos o que elas querem que aprendamos. Não é educação, é fracionamento e dessensibilização.

Mesmo aqueles que se consideram espertos ouvirão um fluxo de palavras de um interlocutor e frequentemente formularão uma resposta antes mesmo deste terminar de falar. Isto é computação. Uma natureza projétil de transação única. É como uma caixa apenas de intelecto. É o caminho da ferraria da palavra para transformar mentes em instrumentos computados. Os bits de informação são escolhidos, reunidos e transformados em criações deliberadas com licença artística.

A telepatia empática escuta toda a capacidade do cérebro e do corpo e é capaz de receber infinitamente mais informações, sabedoria e conhecimentos ricos em sapiência, num nano segundo. Ao contrário da mente “temperada” que precisa de adquirir informações e experiência tudo num tempo / espaço continua linear.

Para os telepáticos empáticos, a comunicação com essas palavras mentais de aço é totalmente frustrante e infrutífera. A pessoa fica com um sabor amargo, misturado com uma complexidade de discordância, um sentimento de algum tipo de vazio ou manipulação. Com a telepatia empática fica um sabor doce, uma pessoa fica satisfeita, respeitada e bem recebida, cheia de muito mais que ela mesma.

🍃

Como podemos tornar-nos telepáticos empáticos?
Onde está o professor?

As formas de pensamento podem ser transmitidas por pessoas e tecnologias, mas esta é uma transação de uma maneira projectada para outra, muitas vezes sem o nosso conhecimento e esses tipos de transferências de projéteis são geralmente do tipo regressivo. 

Para recuperar as nossas habilidades naturais, precisamos antes de tudo, de desejar ser receptivos, pois esse desejo é ele próprio receptividade e começa a abrir e suavizar a mente, tornando-a maleável novamente. É um acto deliberado de vontade e disciplina.

Precisamos de encontrar uma fonte de verdadeiros telepatas, e os mais benignos e gregários são encontrados na natureza. As árvores estão especialmente dispostas a ser as nossas fontes de comunhão novamente e nossas amigos. Para descobrirmos a verdade desta afirmação, precisamos de experienciá-la directamente. 

treehugger_nbxphw

Nenhuma árvore nos desviará nem nos mentirá ou partilhará connosco qualquer coisa que tenha qualquer distorção em si. Elas são tão incapazes disso tanto quanto um bébé é incapaz de mentir. 

A natureza, em todas as suas formas, é nossa “parente” na verdade e na essência, na fisicalidade e na origem. Toda a natureza somos nós, pessoas, árvores, relva, montanhas, água, plantas etc., somos todos da mesma essência e, portanto,  são nossos parentes numa outra forma, mas profundamente informados sobre nós. É importante ir à natureza não apenas para falar, mas sobretudo para ouvir.

Isto pode exigir alguma prática para aqueles que não estão acostumados a ser receptores, mas isso pode ser feito ao tornarmos a nossa mente flexível e receptiva. Precisamos de passar mais tempo com a Natureza, especialmente com as árvores, que estão por toda parte e muitas dispostas a comunicar connosco, embora nem todas, e nelas encontraremos apenas a verdade. 

Ao nutrir uma abertura na nossa mente esta vai agir como um portal de conexão com elas e elas usarão esse portal para se comunicarem connosco. Às vezes, esta ligação pode acontecer rapidamente, surpreendentemente, e outras vezes, precisaremos de mais tempo.

É necessário um certo tipo de confiança para que esta comunicação se desenvolva. Não com a árvore ou qualquer que seja a nossa fonte, mas com nossa própria mente. Devemos confiar na nossa mente para que se torne suave, vibrante e com receptividade. Este processo será diferente para todos. 

Existe um mundo de telepatas empáticos a surgir e este é apenas o começo do recuperar da nossa ligação com a Fonte, com a nossa verdadeira natureza divina e nos sentirmos em casa tanto na nossa própria pele quanto neste planeta em que nascemos.

Devemos conviver com os nossos parentes e amá-los, viver com eles. Isto é harmonia. Quando todas as formas de comunicação e comunhão estão abertas, fluem em todas as direções e sentimentos, os sentidos naturais permeiam a nossa existência, e é aqui que sentimos a nossa família e amor.